Iodo

o iodo é a substância mais mal compreendida na área de saúde

Para que haja uma melhor compreensão dos assuntos relacionados ao iodo, quando falarmos em iodo, tenha em mente que estamos falando tanto do IODO quanto do IODETO DE POTÁSSIO. E, o iodo que estamos nos referindo aqui trata-se do IODO INORGÂNICO, NÃO RADIOATIVO. O Iodo que é causa danos à tireoide é o iodo orgânico.

Quando falamos na substância iodo, geralmente, não só na área da saúde, mas também a maioria das pessoas tende a acreditar que apenas a glândula tireoide tem iodo. No entanto, a tireoide possuí apenas 0.03333333333 de iodo, ou seja, a tireoide possui somente 50 mg de todo iodo que possui no corpo, equivalente 1500 mg de iodo, distribuídos em várias partes do corpo. A pele possui 20% de todo iodo no corpo, 32% encontra-se nos músculos e 35% no tecido adiposo. O iodo está em diversas partes do corpo, entretanto existe uma tendência do iodo se acumular nos tecidos glandulares, no homem (tireoide e a próstata) e na mulher (tireoide, mamas e ovários).

Todas as células no corpo utilizam iodo, a exemplo dos glóbulos brancos, que necessita de iodo para promover defesa contra infecções. As mamas, glândulas salivares, glândulas parótidas, pâncreas, fluido cérebro espinhal, a substancia nigra (que é onde começa o Parkinson), a mucosa gástrica, a pele, as glândulas lacrimais entre outros, possuem grande concentração de iodo.

A habilidade de suar por exemplo depende do iodo, como já dito, 20% do iodo está concentrado na pele. Paciente com câncer de pele tem dificuldade de suar. Muito antes do câncer de pele surgir, primeiro começa a diminuição e a perda da capacidade de suar quando a pessoa e submetida ao calor ou ao esforço físico. Quando se tem deficiência em iodo, há uma predisposição ao câncer, principalmente o câncer de pele.

O departamento nacional de agricultura dos Estados Unidos, o NHANES (National Health And Nutrition Examination Survey) realiza entre cada 4 e 5 anos um levantamento de quais nutrientes os americanos estão ingerindo. O NHANES mostrou que houve uma diminuição de 50% do iodo na alimentação nos últimos 30 anos. As causas disso é fácil de ser entendida, o solo ficou pobre, não somente de iodo, mas também de zinco, selênio, magnésio entre outros. Os alimentos da terra necessitam retirar estas substâncias de algum lugar, e elas são retiradas do solo, só que, se um solo onde é plantado por mais de 10 anos, só retirando, se não for reposto ao solo estas substâncias, as verduras, frutas, não tem de onde retirar estas substâncias eles não produzem estas substâncias, e o agricultor repõe no solo apenas o fósforo, nitrogênio e potássio, que são os fertilizantes. 

Curiosamente durante estes 30 anos, com esta diminuição do consumo de iodo ocorreram um aumento das doenças autoimune, hipotireoidismo, tireoidite de hashimoto e câncer. Os cânceres de mama, próstata, endométrio e ovário também tiveram aumento significativo. E esse aumento está também relacionado com a deficiência de iodo, que está se tornando epidêmica no mundo.

Em novembro de 1998 a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que a deficiência de iodo é um problema importante de saúde pública em 129 países. Aproximadamente 72% da população do mundo é afetada por deficiência de iodo, isso em 1998, imagine hoje, e o Brasil, infelizmente também faz parte desta estatística publicada pela OMS.

David Marine, que foi um patologista Americano, em 1917, ele realizou uma pesquisa, onde ele administrou 100 vezes a dose recomendada de iodo, ele administrou 9 mg por dia, onde ele pegou um grupo controle, onde a incidência do bócio tireoidiano era de 22%, dos 2.305 pacientes, 495 possuíam o bócio.

E após o tratamento realizado com os 9 mg de iodo, nestes pacientes com bócio, nenhum deles desenvolveram mais bócio tireoidiano. Ou seja, as doses recomendadas de iodo na medicina, servem apenas para prevenir e tratar bócio, as doses ideais para prevenir e tratar câncer são bem diferentes. O iodo, que é colocado na forma de iodeto de potássio no sal de cozinha cumpre apenas essa finalidade, que é prevenção do bócio tireoidiano, mas ele não cumpre as outras finalidades que são muito mais importantes. Este é o ponto chave da história, uma coisa são doses de iodo para prevenção de BÓCIO TIREOIDIANO, outra coisa, totalmente diferente são as doses para previnir e tratar CÂNCER. A biodisponibilidade do iodeto de potássio no sal iodado é muito pequena, é de apenas de 10%, e a dose é mínima, é de 77 mcg/grama de sal (mcg = micrograma). Estas doses servem apenas para prevenção do bócio, e nada mais além disso.

A partir do momento que o corpo começa a entrar em deficiência de iodo, começam a surgir cistos, que evoluem nódulos, que evoluem para uma fibrose e posterior a isso, câncer. O processo é sempre esse, começa com cistos, cisto de ovário, cisto no pâncreas, cisto de tireoide, cisto de mama, etc. Todos têm a mesma origem, a deficiência de iodo. Obviamente que existem outros fatores que predispõem aos cânceres, como a alimentação por exemplo.

Os Estados Unidos recomenda a ingestão de 150 mcg/dia de iodo. A população japonesa ingere em torno de 13,8 mg/dia de iodo, comparado com os Estados Unidos a população japonesa ingere em média 92 vezes mais iodo que o americano ingere.

As algas marinhas têm a capacidade acumular iodo em uma concentração 20.000 (vinte mil) vezes mais do que a que existe na água em volta dela. E como faz parte do dia a dia do japonês a ingestão de algas, os japoneses acabam ingerindo uma quantidade de iodo muito maior que as doses recomendadas (cuja finalidade tem apenas a prevenção de bócio tireoidiano)

Dr. David Brownstein, em uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, chegando a quase 5.000 casos, constatou que a população americana possui 96,3 % possui deficiência de iodo. E existe a possibilidade de que o percentual populacional da deficiência de iodo no Brasil esteja próxima disso, de acordo com relatórios da OMS, conforme já visto acima.

Em nosso mundo atual, se observarmos bem, não é nada raro encontrar uma mulher que não possua ou já tenha tido alguma doença fibrocística mamária.

"Os nódulos tireoidianos benignos e malignos têm uma concentração diminuída de iodo quando comparado com o tecido normal da tireóide. 56% no caso de nódulos benignos e apenas 3% do iodo encontrado no tecido normal, no caso de nódulos malignos". Ou seja, quanto menos iodo se tem no nódulo, mais malignidade o nódulo vai desenvolver. Conforme estudo em Anayst, March 1995, Vol 120.

O problema do aumento dos tipos de câncer não está apenas relacionado ao iodo, obviamente existem outros minerais que estão faltando no solo, como por exemplo magnésio, selênio, entre outros. A deficiência de Selênio por exemplo também predispõe ao câncer, aumenta 5,8 vezes as chances de desenvolver câncer. A suplementação com selênio diminui a incidência de câncer de pulmão em 48%, de próstata em 63% e de colorretal em 58%. JAMMA 1996; 276: 1957-61

De acordo com o Cancer Statistics, as taxas de sobrevivência das vítimas com câncer de mama são praticamente as mesmas nos últimos 70 anos. Mesmo com todos os avanços como uso de mamogramas, cirurgia, quimioterapia e radioterapia. Em outras palavras, em nada se melhorou, apenas o diagnóstico está mais rápido, é a detecção é mais prematura, e por esta razão tem-se a impressão que houve aumento da sobrevida da paciente com câncer de mama. A pessoa na verdade fica mais tempo com a doença, por conta de o diagnóstico ser feito mais cedo.

Cancer Statistics, 2004, Cancerj. Clin. 2004; 54:8-29

SUPLEMENTAÇÃO APENAS DE IODO NÃO RESOLVE

É necessário entender a dinâmica de como o corpo trabalha com o iodo, apesar de, a tireoide utilizar o IODO, ela não trabalha com iodo, ela trabalha com IODETO, e através de um processo, conforme veremos a seguir. Através dos Symporters, que comentaremos um pouco em outro tópico, o iodo entra (na forma de iodeto). Entra iodeto de potássio e é convertido em iodo após passar pela pendrina, e após passar pelo fenômeno de oxidação, iodeto é negativo e iodo é neutro. Conforme pode ser observado no esquema abaixo.

QUEM USA IODO QUEM USA IODETO

IODO: Esôfago, Estômago, Próstata, Mamas
IODETO: Mamas, Tireóide, Pele, Glândulas Salivares
Observação: As Mamas como pode-se observar utiliza os dois, Iodeto e o Iodo.

Fica evidente que, em uma suplementação, para atingir tudo isso mencionado, não basta apenas suplementar apenas Iodo, e muito menos apenas Iodeto, deve utilizar uma suplementação que fornecam os dois, tanto iodo quanto iodeto. Para isso, uma solução eficiente e barata é a Solução de Lugol a 5%, que também será comentado em outro tópico.

TRABALHOS CIENTÍFICOS SOBRE IODO LACTONA COMO INDUTOR DE APOPTOSE EM CÉLULAS CANCERÍGENAS

Apoptose, é um processo conhecido como morte programada celular. As células normais do nosso corpo morre através de um processo de apoptose, quando a célula atinge um determinado numero de divisões celulares (replicações), seus telomeros se encurtam e uma enzima chamada CASPASE-9, induz a célula a entrar em processo de morte, este processo é o que se chama de Apoptose. As células cancerígenas, além delas se reproduzirem 11 vezes mais rápido que as células normais do corpo, a célula cancerígena não possui apoptose, devido a um fenônemo, que será discutido em outro tópico. Por esta razão as célular de câncer nunca morrem, são eternas, e estão sempre crescendo. Quando é usado iodo/iodeto em uma dose maior que a fisiológica, este forma o iodo lactona, que induz a célula cancerígena a ter apoptose e com isso, matar as células cancerígenas.

Existem numerosos estudos e trabalhos científicos ao redor do mundo demonstrando a ação do fenômeno de Iodo Lactona no processo de indução da morte em células cancerígenas. Abaixo constam alguns dos links dos trabalhos científicos realizados e publicados.

Molecular iodine induces caspase-independent apoptosis in human breast carcinoma cells involving the mitochondria-mediated pathway
http://www.jbc.org/content/281/28/19762.short

The role of iodine and delta-iodolactone in growth and apoptosis of malignant thyroid epithelial cells and breast cancer cells
http://hormones.gr/preview.php?c_id=544
Download: http://www.hormones.gr/pdf/HORMONES%202010%2060-66.pdf

δ-Iodolactone, key mediator of antitumoral properties of iodine
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1098882314000288

δ Iodo-δ-lactone: A derivative of arachidonic acid with antitumor effects in HT-29 colon cancer cells
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0952327813000045

Influence of iodide and iodolactones on thyroid apoptosis. Evidence that apoptosis induced by iodide is mediated by iodolactones in intact porcine thyroid follicles
http://europepmc.org/abstract/med/14520597

E caso o nosso visitante deseje conhecer outros trabalhos científicos sobre o assunto, basta clicar nos links abaixo

Iodo Lactone and Apoptosis Tumor Cells
Iodo Lactone and Apoptosis

Não deixem de assistir aos videos relacionados sobre o assunto

Importante

As informações contidas aqui tem caráter informativo, e não devem ser usadas para o diagnóstico ou para orientar o tratamento sem a opinião de um profissional de saúde. Procure sempre um médico de sua confiança e que, de preferência entenda de medicina preventiva, medicina ortomolecular, um nutrólogo ou um nutricionista. Apenas o médico está habilitado para diagnosticar eventuais doenças, indicar tratamentos e receitar, se necessário, medicamentos e minerais.