Kefir é um alimento probiótico, com propriedades de fortalecer e restaurar a microbiota intestinal. É uma cultura de microrganismos simbióticos, conhecidas como bactérias benéficas. O Kefir também é rico em vitaminas B6, B12 e K, biotina, cálcio, ácido fólico, potássio e magnésio. É uma excelente fonte de biotina, a vitamina B que ajuda a assimilação do corpo de outras vitaminas B, tais como o ácido fólico, ácido pantoténico, e B12. Os inúmeros benefícios da manutenção adequada ingestão de vitamina B gama de regulação dos rins, fígado e sistema nervoso para ajuda a aliviar problemas de pele, aumenta a energia e promove a longevidade.

Kefir oferece ampla oferta de fósforo, o segundo mineral mais abundante no nosso corpo, ajuda a utilizar carboidratos, gorduras e proteínas para o crescimento celular, manutenção e energia.

São amigos da vida humana e grande aliados no combate de um número amplo de enfermidades e disfunções. E um iogurte poderoso e muito benefico a nossa saude. Possuem a aparência de "grãos" que variam de tamanho, aproximadamente 3 a 7 milímetros e de textura plástica, opaca, ligeiramente transparente que pode ser de coloração branca ou amarelada. Não se trata de algo desenvolvido por pesquisas de laboratório, foi por séculos um segredo étnico. Estudado por pesquisadores ocidentais no decorrer do século XX, vem se popularizando mundialmente desde 1999 com maior intensidade.

E há uma forte tendência para que ocupe papel de destaque no século XXI. Atribui-se ao uso diário do kefir a famosa longevidade e saúde dos habitantes das montanhas russas do Cáucaso que são os únicos a alcançarem a idade de até 120 anos gozando de total saúde. Trata-se de uma cultura de fácil utilização caseira, sua exploração industrial, não tem sido possível até o presente momento e as tentativas comerciais que se encontram no mercado e presentes em apenas alguns poucos países, colocam em circulação um similar com propriedades reduzidas e incompletas. É possível a sua exploração artesanal.

Na Rússia 70% dos laticínios são a base de culturas de kefir. É conhecido também como um elemento da ecologia corpórea por promover um eco sistema orgânico dentro do corpo com total equilíbrio. Seu emprego diário alimentar e terapêutico varia em quantidade de acordo com a finalidade e especificação. Não possui efeitos colaterais nem desenvolve intolerância, pode ser consumido em veículo líquido, água, sucos, leite de vaca, cabra, búfala, ovelha, leite de coco, de soja, queijos e receitas culinárias.

Há vinagres balsâmicos e comuns desenvolvidos a partir da cultura do kefir. Crianças com intolerância ao leite comum podem assimilar o kefir lácteo e por ser algo caseiro é inúmeras vezes mais barato do que as alternativas à venda. É chamado de matriz os grãos que formam o produto a ser consumido, o resultado da inoculação por grãos de kefir pode ser chamado de cultura mãe, também serve para obter a inoculação de leite e sucos, há uma diferença grande entre os grãos de kefir e a fermentação derivada de seu produto. Esta última não é capaz de produzir a chamada isca para um novo kefir ou produto. Kefir é uma realidade comunitária biologia em defesa da vida e da saúde, uma união agregativa e não desagregativa de forças do bem em nossas vidas, uma atitude yogui por excelência é a sua disseminação, a palavra yoga significa união, com tal conotação.

Modo de Preparar o Kefir

Kefir pode ser preparado com água ou leite. Para o uso de apoio em terapias emprega-se uma quantidade maior do que como complemento na alimentação básica e para tal a água é mais indicado.

Na Água

Para o cultivo na água, preferencialmente deverá ser utilizado água filtrada. Não existe uma proporção exata sobre o quanto utilizar de água e açúcar mascavo, isso é particular de cada pessoa, em geral, pode-se adotar a sugestão de usar 2 colheres de sopa de açúcar mascavo para cada 500 ml de água, ou seja se usar 1 litro de água, utilizaremos 4 colheres de sopa de açúcar mascavo, e assim por diante. Se a pessoa adquiriu os grãos recentemente, utilizar uma quantidade de açúcar um pouco maior, irá contribuir para o crescimento mais acelerado. Se a pessoa ainda possui poucos grãos, não há necessidade de utilizar 1 litro de água, essa quantidade poderá ser utilizada quando a quantidade dos kefir for um pouco maior. A relação mínima sugerida é que para 1 litro de água, se tenha pelo menos entre 2 a 4 colheres de sopa de grãos de kefir.

Preferencialmente a água utilizada deverá ser filtrada, água mineral pode ser utilizada,  contudo, deve-se tomar cuidado com o percentual de cloro contido na água mineral, essa informação pode ser encontrada na embalagem. Em geral, tem se observado que nem sempre o Kefir se desenvolve bem com uso de água mineral, isso porque muitas vezes a marca da água mineral possui ou uma grande quantidade de cloro, ou pela água estar contaminada por Xenoestrógenos* ou BisfenolA*.

Além do açúcar mascavo, pode-se utilizar rapadura ou melado de cana de boa qualidade, de preferência mais orgânico possível. O mel também pode ser usado, porém, os grãos do kefir não crescerão.

No Leite

O procedimento é igual ao da água, com a diferença de que o leite deve ser morno ao iniciar a cultura. Leite pasteurizado pode ser empregado. É aconselhável que se tenha sempre em mãos uma cultura na água também, pois o leite é um produto que vem sendo adulterado com substâncias químicas desde a alimentação da vaca até o seu acondicionamento e com o tempo a cultura de kefir pode sofrer alterações. Não há necessidade de se adicionar açúcar mascavo ou equivalente ao leite, ele já tem o seu açúcar próprio que conhecido pelo nome de lactose. A lactose é consumida e transformada pela cultura e torna o leite enriquecido e assimilável por aqueles que possuem intolerância à lactose, adultos e crianças até da mais tenra idade, como bebes, por exemplo. O sabor é muito palatável.

Algumas dúvidas durante o cultivo do Kefir

Grãos do Kefir boiando estão mortos?
- Não estão mortos, os grãos produzem CO2, alguns grãos acabam flutuando por estarem cheios de CO2, mas posteriormente eles retornam au fundo do recipiente.

Cultivar o Kefir em um recipiente tampado hermeticamente pode matá-los?
- Durante a fermentação ocorre liberação de CO2, o que poderia ocasionar que a tampa ou recipiente viesse a quebrar. Entretanto, para evitar isso, deve-se tomar o cuidado de não encher o recipiente mais do que 2/3 de sua capacidade, desta forma, é possível tampar o recipiente onde está o Kefir sem causar danos aos grãos.

A fermentação é maior em ambiente mais quente?
- O kefir fermentará mais rapidamente estando ele em ambiente com temperatura entre 25 e 40 graus, o limite suportado pelo kefir é 45 graus, em locais com calor próximo dos 45 graus, ou acima disso, devem ser cultivados na geladeira, preferencialmente na parte mais baixa. Quanto mais frio menor será a fermentação. Em regiões mais frias, onde as temperaturas oscilam entre 0 e 15 graus, os recipientes podem ser guardados dentro de caixas de isopor (sugestão da Myrella... cuja família cultiva o kefir a mais de 30 anos), outra sugestão, para quem não possui espaço, seria envolver os recipientes com um pano e depois com uma camada de jornal, pois o jornal faz o papel de isolante térmico.

Modo de Usar o Kefir

Tem uso interno e externo. O uso externo é indicado para problemas cutâneos como acne com incrível eficácia e para a manutenção e regeneração da pele. No uso contínuo e diário, com 300ml a 500ml (meio litro) já se consegue bons resultados e benefícios. Para a maioria dos empregos terapêuticos aconselha-se a ingestão de kefir feito com água na quantidade aproximada de um litro por dia e dois litros em casos graves de anemia e para uma intensa desintoxicação orgânica. É recomendada a ingestão diurna do kefir, após o por do Sol a interação química com o corpo não é das melhores e deve ser evitada. Não comemos os grãos de kefir, mas sim ingerimos a parte líquida de fermentação da cultura. Pode ser refrigerado, misturado na base de 50% nos sucos de frutas. Kefir com mel e guaraná em pó é um tônico geral maravilhoso. Os produtos lácteos do kefir podem ser adicionados a frutas, utilizados em receitas variadas, mas sempre consumido cru. O uso de chás medicinais para a fermentação desta cultura traz bons resultados. O conhecimento do uso e modo de consumo do kefir é ainda uma página nova na aventura da vida humana e espero que a sua pessoa venha dar suas contribuições em editá-la. O kefir de 12 horas de fermentação produz efeito laxativo no intestino, o de 24 horas é um pouco laxativo (ideal para quem tem o intestino normal) e o de 40 horas de fermentação prende o intestino.

Armazenamento

Após coado, o líquido resultante da fermentação da cultura deve ser conservado em refrigeração, mesmo quando consumido na forma de queijos. A duração de seus produtos vai até no máximo três dias, mesmo sob refrigeração. Os grãos, após lavados e secados devidamente à sombra em temperatura ambiente, podem ser mantidos refrigerados a 4°C ou liofilizados por congelamento. As formas comerciais de kefir contém apenas uma parcela de seus componentes e o mais conhecido é o kefiran. O armazenamento do kefir tem sido a maior barreira para a sua ampla comercialização. Até mesmo as matrizes vendidas por correio no exterior não são o verdadeiro kefir por serem apenas elementos parciais do kefir, assim como em yoga, a fonte de aquisição é um fator fundamental em sua eficiência e garantia. Os grãos verdadeiros são adquiridos de pessoa a pessoa, pessoalmente e com uma corrente de bons fluídos, da qual o kefir é apenas mais um componente.

Benefícios Dietéticos e Terapéuticos

O kefir é tido como um ótimo regulador do peso. A associação simultânea de kefir com jejum é um desastre, o kefir atua como um enzimático poderoso e acentua amplamente o anabolismo, ou seja, a assimilação de nutrientes, isto faz com que seja necessária a utilização de comida normalmente. Para os que gostam de jejuar o uso nos dias de jejum pode ser suspenso. Se alimentar só de kefir é uma atitude errada e contra indicada. Um grande restaurador da vitalidade e da disposição física, mental e emocional é o nosso amigo kefir. Se diz que o kefir é uma bênção para o nosso século porque é um auxiliar vital e importante contra diversos tipos de disfunções e moléstias que são típicas de nossos dias, por exemplo: Ajuda a combater os males contraídos por irradiações, exposições a monitores de vídeo, na desintoxicação de poluentes tóxicos, etc. Combate distúrbios nervosos, a ansiedade e a insônia, reduz o colesterol e regulariza a digestão, restaura rapidamente a micro flora intestinal, ótimo para quem se submeteu a longos tratamentos com antibióticos.

Na Rússia e na Alemanha o uso em hospitais psiquiátricos tem obtido nobre respeito. Promove uma absorção orgânica muito maior de sais minerais e vitaminas, principalmente a vitamina B12, ajudando nos problemas de desnutrição. Auxilia a absorção de proteínas. Tem sido usado no tratamento de pacientes que sofrem de AIDS.

Aumenta a imunidade em grande escala. Tem colaborado no tratamento de herpes, câncer e síndrome de fadiga crônica. O uso regular de kefir pode ajudar a remover todo tipo de desordem do aparelho digestivo. A purificação orgânica que promove auxilia a obtenção de um eco sistema interno perfeito para a saúde e para a longevidade.

Kefir pode ser usado nos seguintes casos:

Erupções cutâneas
Desequilíbrios emocionais e de origem nervosa
Problemas renais e da bexiga
Anemias
Problemas respiratórios
Alergias
Disfunções hepáticas
Diarréia
Prisão de ventre
Problemas cardio-vasculares (infarto e arteriosclerose)
Reumatismos
L.E.R.
Tumores
Doenças do estômago, úlceras pépticas e duodenais, gastrite

Em doenças graves e prolongadas deve ser tomado abundantemente três vezes ao dia meio litro por vez.

Para bebes a sua colaboração no desenvolvimento de um aparelho digestivo saudável é vital.