Limpeza do fígado e vesícula biliar


Muitas pessoas sofrem com cálculos biliares, todas as pessoas possuem cálculos pequenos no fígado, quando estes cálculos aparecem na vesícula é porque eles já se aglomeraram, formando cálculos bem maiores. A medicina convencional em sua grande maioria indica a remoção da vesícula através de cirurgias, com todos os efeitos colaterais que na grande maioria das vezes não são explicados ao paciente. A remoção da vesícula implica na deficiência em digerir gorduras, não absorção das vitaminas A, D, E, K. Uma pessoa que teve a vesícula removida deve fazer uso de Ox-Bile (Sal Biliar), e muita gente não é orientada sobre isso. E a remoção da vesícula implica a longo prazo em consequência sérias.

O fígado além de produzir a bile, necessária para a digestão das gorduras, ele é o órgão de sintetização e eliminação de toxinas, é um grande e complexo laboratório.

Uma alimentação cheia de produtos industrializados, pobres em nutrientes, desidratação, que favorece a formação de cálculos, o estres, conflitos emocionais, tudo isso prejudicam e desregulam o funcionamento do fígado. Todos estes fatores tem como resultado mudanças sutis na composição da bile, que não flui de forma adequada e acaba formando os cálculos, obstruindo os dutos biliares e diminuindo a efetividade do órgão em suas diversas funções.

Existem inúmeros sintomas relacionados ao comprometimento e mal funcionamento do fígado, entre eles: fadiga, má digestão, dores abdominais, manchas e coceiras na pele, dores nas costas e nos ombros, irritabilidade, além de comprometer a função dos rins.

Apesar de tudo isso, a medicina funcional e holística, traz uma forma de restabelecer o equilíbrio deste órgão tão vital através de procedimentos naturais como é o que será mostrado nesta postagem.

As informações apresentadas aqui são fontes do livro A surpreendente limpeza hepática e da vesícula, do Dr. Andreas Moritz.

O livro estará sendo disponibilizado ao final e poderá ser baixado. Em espanhol.

VAMOS A LIMPEZA?? VAMOS !!!

O QUE É NECESSÁRIO PARA A LIMPEZA HEPÁTICA E DA VESÍCULA BILIAR

18 sachês com 2 gramas de ácido málico *
80 gramas de Sulfato de Magnésio **
125 ml Azeite de Oliva Extra Virgem ***
180 mL de suco de limão

* Pode-se também fazer uso de 1 litro de suco de maça sem a casca por dia

** Pode-se comprar na farmácia Sal Amargo ou Sal de Epson, é a mesma coisa, ambos contém 99% de sulfato de magnésio

*** O azeite de oliva deve ser de ótima qualidade e não deve ser nacional, pois a lei brasileira permite que sejam adicionados óleos vegetais para compor o azeite, não recomendo nenhum azeite de oliva feito no Brasil (A legislação permite que se um fabricante usar pelo menos 15% de Azeite de oliva e completar o resto com óleo vegetal, como o de soja, este pode rotular como azeite de oliva). Prefira opções importadas, os valores variam de R$ 40,00 a R$ 50,00. Quem desejar, podemos indicar alguns tipos de azeites, bastando enviar um e-mail, pois desta forma, não estaremos fazendo propaganda de uma ou outra marca. (faleconosco@telomero.com.br).

PREPARAÇÃO

O processo para remoção de cálculos hepáticos e biliares é de seis dias de preparação e um dia de eliminação e descanso, partiremos do pressuposto que a pessoa começará o procedimento na segunda-feira.

De segunda a sábado, devemos consumir 1 sachê de 2g de ácido málico pela manhã, a tarde e a noite. Ou fazer uso de 400 ml de suco de maça três vezes ao dia. Preferencialmente com estômago vazio, em jejum antes do café da manhã e a tarde e a noite após as refeições. É extremamente recomendável fazer ingestão de água durante o dia.

O ácido málico, que está presente na maça, tem a função de amolecer os cálculos, facilitando assim a passagem pelos dutos biliares.

RECOMENDAÇÕES DIETÉTICAS

Nos cinco primeiros dias, ou seja, de segunda a sexta a dieta deve livre de gorduras, alimentos de origem animal, leites, carnes, frangos, presuntos, queijos, etc. A alimentação deve ser o mais leve possível, preferencialmente de origem vegetal, verduras e legumes. Não fazer uso de bebidas alcoólicas de nenhum tipo. Pode-se fazer uso de sopas desde que sejam sem óleos, e os temperos devem ser simples e livres de quaisquer condimentos industrializados. Alimentos industrializados de todos os tipos estão proibidos. E evite comer demasiadamente. Durante os dias de preparação é indicado ingerir frutas, de forma moderada. Evite alimentos gelados e bebidas geladas, pois estas resfriam o fígado diminuindo a eficácia da limpeza, todo alimento e bebida devem estar no mínimo em temperatura ambiente.

Arroz, sopas leves a base de legumes são permitidos. Caso sinta alguma necessidade de proteínas, pode-se fazer uso de ovos cozidos, também convém não comer demais.

MEDICAÇÕES E SUPLEMENTAÇÃO

Durante o processo evitar fazer uso de medicamentos, vitaminas e suplementos de qualquer tipo que não sejam necessários. Isso evitará trabalho extra para o fígado.

O SEXTO DIA

Caso sinta fome pela manhã, faça um desjejum leve com frutas, ou até mesmo mingau de aveia (sem leite).
Na hora do almoço coma vegetais cozidos ou no vapor ou ainda refogado acompanhados com arroz branco e temperado apenas com sal (preferencialmente NÃO REFINADO).

Não fazer ingestão de proteínas, manteiga, óleos, pois poderá sentir mal durante a limpeza. Tente fazer refeição no máximo até às 13h. A partir dai não consumir mais nenhum alimento, bebendo apenas água e o ácido málico ou suco de maça.

PREPARAÇÃO PARA LIMPEZA NO SEXTO DIA

Dissolver os 80g de sulfato de magnésio ou sal amargo em 800 mL de água mineral, filtrada ou fervida. O sulfato de magnésio tem a função de dilatar os dutos biliares e realizar a desobstrução dos intestinos.

18:00: tomar 200 mL da solução de sulfato de magnésio.

20:00: tomar 200 mL da solução de sulfato de magnésio.

21:45: em um recipiente, esprema os limões, cerca de 180 mL e adicione 125 mL do azeite de oliva extra virgem. Feche o recipiente e agite bastante de modo a homogeneizar o suco com o azeite. Não beba ainda, agite bem.

22:00: Fique de pé ao lado da cama e beba a emulsão (suco+azeite) de uma vez, caso o gosto não esteja agradável, use um canudo para não sentir tanto o sabor. Não demorar mais que cinco minutos para tomar a emulsão.

Após beber a emulsão, deitar imediatamente de barriga para cima com a cabeça mais alta que o corpo, utilize 2 travesseiros para isso, deste modo ajudará a soltar as pedras. Apague as luzes e fique imóvel, e tente dormir tranquilamente. Caso tenha vontade de ir ao banheiro durante a noite vá sem problemas, após evacuar verifique se já saiu algum cálculo (pedra biliar). É fácil de identificar, os cálculos são verdinhos e flutuam na água. Podem ainda existir alguns brancos/acizentados, que afundam, estes são de cálcio e pigmentos).

Caso sinta algum desconforto ou náuseas, estes desaparecerão pela manhã.

MANHÃ SEGUINTE (SÉTIMO DIA)

06:00 - 06:30: beber o terceiro copo de sal amargo. Caso ainda esteja com sono volte e deite-se. Ou apenas fique descansando. Mas o aconselhado é estar com o corpo levantado.

08:00 - 08:30: beber a quarta e última dose do sal amargo.
Cada vez que evacuar, verifique os cálculos que saíram. Uma pessoa mesmo sem apresentar sintomatologia alguma relacionado a cálculos biliares/hepáticos expelirá mais de 300, 400 pedras (pequeninas) e algumas poucas maiores.

Entre 10:00 e 10:30 pode iniciar o desjejum, bebendo suco de frutas frescas. Meia hora depois, pode comer frutas, e uma hora depois já poderá comer normalmente (comidas leves). Pela noite e pela manhã seguinte já estará de volta a rotina diária. Tente comer nos próximos dias comidas mais leves. Não esqueça que seu fígado e sua vesícula passaram por uma “cirurgia” só que sem os efeitos deletérios e efeitos colaterais da mesma.

É sugerido repetir este procedimento entre 15 e 60 dias, até que não saia mais nenhum cálculo. É importantíssimo realizar a limpeza do fígado e vesícula até o fim.

Nas fotos ao final iremos mostrar como os cálculos são armazenados dentro do fígado e vesícula, bem como imagens de vesículas dissecadas com os cálculos dentro dela. Iremos mostrar também o resultado de duas limpezas realizadas recentemente.

O processo é muito tranquilo e não sente nenhum tipo de dor.

O QUE ESPERAR DA LIMPEZA HEPÁTICA E BILIAR

O fígado irá funcionar com maior eficiência após a primeira limpeza, essa melhora será sentida nas primeiras horas. Energia e a clareza da mente aumentarão consideravelmente. Embora após alguns dias, os cálculos que não saíram se moverão em direção aos dois dutos biliares principais, excitando o fígado, podendo causar o reaparecimento de alguns sintomas ou desconfortos. Isso tudo mostra que ainda existem cálculos restantes a serem eliminados na próxima limpeza. Em todo caso, o poder de auto-reparação e limpeza do fígado teve um aumento significante, aumentando a efetividade deste órgão vital.

Enquanto ainda houver algumas pequenas pedras movendo-se ns milhares de pequenos dutos para as centenas de dutos maiores, elas podem aglomerar-se, formando cálculos maiores e produzindo sintomas experimentados anteriormente, como dor nas costas, dores de cabeça, dificuldades digestivas, gases, irritabilidade, raiva, etc. Entretanto estes devem ser mais amenos que antes. Se uma nova limpeza não expele mais pedras, o que geralmente acontece depois de 6-8 vezes (em casos graves pode levar mais que 10-12), seu fígado estará em excelentes condições. Após limpeza completa, sugere-se que sejam realizadas limpeza a cada seis ou doze meses.

Não realizar a limpeza quando estiver sofrendo de uma doença aguda, mesmo que seja só um resfriado. Em caso de doença crônica, limpar seu fígado pode ser a melhor coisa que pode fazer por sua saúde.

A limpeza de fígado é um dos mais valiosos e fascinantes e efetivos métodos para restaurar a saúde. Não há risco, seguindo as orientações.

As orientações devem ser realizadas como se orienta. Afim de não vir a ter problemas.

Existe possibilidade de alguns cálculos ficarem presos no cólon. Estes podem rapidamente ser removidos por irrigação no colón. Idealmente, deve ser feita no segundo ou terceiro dia após a limpeza. Cálculos que ficarem presos no cólon podem causar irritação, infecção, dores de cabeça e desconforto abdominal, problemas na tiroide, etc. Essas pedras podem eventualmente tornar-se focos de toxinas no corpo.

A IMPORTÂNCIA DE UMA LIMPEZA DO CÓLON E DOS RINS

Apesar de a limpeza de fígado produzir resultados benéficos, o ideal é fazê-la após limpar cólon e rins, nesta ordem. A limpeza de cólon assegura que os cálculos biliares expelidos sejam facilmente removidos do intestino grosso. Limpar os rins faz com que estes órgãos vitais não fiquem sobrecarregados com as toxinas expelidas pelo fígado durante o processo. De qualquer forma, se você nunca teve problemas com os rins, pedras, infecções urinárias etc., então pode seguir alternando as limpezas de fígado com as de cólon, mas não deixe de limpar os rins mais adiante, o mais tardar após a segunda ou terceira rodada, e mais uma vez ao final, quando o fígado estiver limpo.

Pessoas com o cólon seriamente congestionado, ou que têm um histórico de prisão de ventre, devem fazer pelo menos 7 a 10  limpezas de cólon antes de sua primeira limpeza de fígado.

IMPORTANTE:

É muito importante que você limpe seu cólon o mais tardar três dias após cada limpeza de fígado, pois o procedimento pode deixar pedras ou outros resíduos tóxicos presos no intestino. Retirá-los de lá é essencial para a sua saúde.