Sal Refinado

"sal" refinado causa hipertensão, SAL integral não, ele baixa a pressão.

Embora o “sal” refinado seja produzido a partir do sal marinho bruto, o sal refinado contém apenas o cloro e o sódio, na forma de cloreto de sódio, estes, isoladamente, sim são prejudiciais à saúde, gerando problemas de sobrepeso, hipertensão arterial entre outros. No refinamento, são extraídos mais de 80 minerais presentes no SAL. Diversos nutrientes são extraídos, e, para agravar, são adicionados aditivos químicos, solventes, altamente nocivos à saúde.

 

COMO O “sal” REFINADO É NOCIVO PARA A SAÚDE

Por causa do elevado teor de sódio, pois foram retirados mais dos 80 minerais do SAL no processo de refinamento, este sódio agora, sem os demais minerais para contrabalancear, este sódio agora favorece a pressão alta e a retenção de líquidos, diferentemente do SAL integral, seu estado bruto, onde isso não ocorre.

No processo de refino, o SAL passa pôr lavagens onde são retirados algas microscópicas que agem como fixadores do iodo natural, e graças a isso, é preciso acrescentar iodo, que é colocado sob a forma de iodeto de potássio, cujo papel cumpre apenas uma única finalidade, prevenir o bócio, o problema é que o iodeto de potássio é geralmente usado em uma quantidade superior à quantidade normal de iodo presente no SAL em sua forma natural, o que predispõe o organismo a problemas da tireoide. Além do iodo, no processo de refino são perdidos magnésio, que é um bloqueador natural do cálcio, a elevação do cálcio no sangue é um dos fatores que propiciam aumento da pressão arterial, enxofre, cálcio, além de outros minerais.

Os problemas não param por ai, devido a adição destes aditivos iodados, estes, acabam oxidando muito rapidamente quando são expostos a luz, e para que isso não ocorra, é adicionado um estabilizante, a dextrose, que, quando combinado com o iodeto de potássio, acaba por produzir uma coloração roxa, e para resolver este problema, enfim é adicionado um alvejante, que é o carbonato de sódio, que podem provocar cálculos renais e biliares. Outros componentes também são eliminados no processo de lavagem, como plâncton (nutriente), o krill (minúsculo camarão invisível), em quantidades mínimas, estes fatores fornecem importantes oligoelementos como cálcio natural, cobre, molibdênio e zinco. A maior parte dos macro e micro elementos essenciais são perdidos, e a maior parte deles são importantes na ativação de enzimas.

ADITIVOS QUÍMICOS

Depois que foram retirados mais de 80 minerais do SAL, além de pobre em nutrientes o “sal” agora recebe aditivos químicos. Além do oxido de cálcio que evita que o sal se liquefaça (e favorece também o aparecimento de pedras nos rins e na vesícula biliar), o sal receberá também ferrocianato e prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato aluminado de sódio e agentes antiumectantes diversos.

Entre as perdas irreparáveis no sal refinado está o importante íon magnésio. A escassez de magnésio no sal refinado favorece também a formação de cálculos e arteriosclerose, além de arteriosclerose em diversas regiões do organismo quando o cálcio de origem não natural está presente, como é caso do sal industrializado.

Alguns aditivos químicos utilizados no processo de refino são: Iodeto de potássio, óxido de cálcio, carbonato de cálcio, ferrocianeto de sódio, prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato aluminado de sódio, dextrose, talco mineral.

EFEITOS NOCIVOS DO “sal” REFINADO

Hipertensão arterial
Edemas
Eclampsia
Arteriosclerose
Cálculos renais e biliares
Hipoplasia da Tireóide

VANTAGENS NO USO DO SAL MARINHO NATURAL

O SAL marinho (não refinado) contém cerca de 84 elementos/minerais importantes na saúde humana, que são eliminados ou extraídos para a comercialização durante o processo na produção do “sal” refinado.

O SAL marinho, que não passou pelo processo de refino, contém iodo de fácil assimilação e em quantidades ideais. Não é necessário usar uma grande quantidade de sal marinho na dieta, pois o teor de sódio deste sal é menor que no refinado, que possui elevadas concentrações de sódio sob a forma de cloreto. Isto pode ser verificado provando-se os dois. O sal refinado produz uma sensação desagradável devido a sua concentração, ao passo que uma pedrinha de sal marinho é agradável ao paladar.

OPÇÕES DE COMO ADQUIRIR O SAL MARINHO NÃO REFINADO

Caso seja difícil encontrar o SAL marinho em seu estado natural, sem refino, uma opção seria comprar o SAL marinho grosso, o que é usado para churrasco, e moê-lo, ou bater no liquidificador, processador de alimentos e após isso peneira-lo. Outra forma, é comprar o SAL Rosa do Himalaia ou mesmo a Flor de SAL. O sal de cristal do Himalaia é um produto 100% natural. Ele é recolhido manualmente, sem sofrer nenhum tipo de refinamento. Livre de toxinas e poluentes, esse alimento, recolhido em depósito seculares do Himalaia, é considerado o sal mais puro do planeta e sua cor rosa deve-se à alta concentração de minerais em sua composição – ele carrega mais de 80 tipos de minerais, principalmente ferro, manganês, cálcio, potássio, manganês, selênio, zinco, cobre, iodo, etc. Em outra seção estaremos falando sobre os tipos de SAL, onde será falado mais em detalhes do SAL Rosa do Himalaia, entre outros SAIS.

NOTA: Entre o SAL marinho, o "sal" refinado, "sal" marinho refinado ou "sal" de cozinha ou de mesa, sem dúvida o SAL marinho não refinado seria a melhor opção, entretanto, o SAL marinho está se tornando cada vez mais processado e, os oceanos a cada ano estão cada vez mais contaminados, poluídos. Enormes vazamentos de óleos que vem ocorrendo nos oceanos a cada ano, emissões de metais pesados, etc. Devido a isso, as condições originais em que o sal rosa é mantido, diz-se ser o mais puro sal disponível hoje no planeta. Falaremos sobre ele em outro tópico.

Com mudanças simples conseguimos obter uma melhora na saúde, melhor controle da pressão arterial, ingestão barata de minerais essenciais à saúde, além de evitar “envenenamento” com as altas doses de aditivos usados no sal refinado industrializado.